Home Notícias Vídeos Classificados Fale Conosco Eventos Artigos

Veja Também

Parceiros

Notícia publicada em 15/08/2014 - 08:59:20 | GUAJARÁ MIRIM

 

Após cárcere, mulher segue hospitalizada em Nova Mamoré, RO

 

Ana Cláudia passa bem; ela ficou quase 72 horas refém do ex-marido.

Polícia procura por Neivaldo que fugiu após libertar a ex-esposa.

 

Após ficar quase 72 horas prisioneira do ex-marido, Ana Cláudia Peixoto, de 25 anos, segue hospitalizada em Nova Dimensão, distrito de Nova Mamoré (RO), municípo a 330 quilômetros de Porto Velho. Ela passa bem. Já o ex-marido, Neivaldo Duarte, continua foragido. A arma do crime foi encontrada na casa do pai do suspeito que foi levado para a delegacia.

 

Segundo a polícia, este foi o mais longo cárcere privado que ocorreu em Rondônia. Ainda de acordo com a polícia, Neivaldo não aceitava o fim do relacionamento e até fez ameaças em uma rede social, onde dizia que Ana Cláudia deveria reatar com ele até domingo (10). Na segunda-feira (11), às 7h, a mulher foi feita prisioneira, quando seguia com o pai para o trabalho.

 

O casal tem um filho de 1 ano, que ficou com a família da vítima durante todo o tempo do cárcere. A mãe do foragido, sem entender o comportamento do filho, acredita que ele precisa de tratamento psicológico.

 

Negociação

A Polícia Militar informou que as negociações não avançavam, mas na noite de terça-feira (12), o suspeito pediu água e que a polícia se afastasse. Buscando proteger a vítima, que já estava bastante debilitada, a polícia cedeu. Na manhã desta quinta-feira (14), quando o negociador militar fez o primeiro contato do dia, a vítima, sonolenta e possivelmente dopada, disse que Neivaldo não estava mais na casa.

 

"Entendemos que vencemos, que tivemos sucesso, em vista do cenário da situação. Tínhamos a preocupação de preservar as vidas e conseguimos isso", diz o negociador da polícia.

 

A polícia continua a procura de Neivaldo que deverá ser enquadrado nos crimes de tentativa de homicídio, porte ilegal de arma, cárcere privado, sequestro e na lei Maria da Penha.

 

Matéria:Dayanne Saldanha/G1 RO

 

 

ATENÇÃO SR(s) INTERNAUTAS

 

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se

prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

 

Publicidade

 

 

 

Publicidade

 

Comentários

 

 

Home Notícias Vídeos Classificados Fale Conosco Curiosidades