Home Notícias Vídeos Classificados Fale Conosco Eventos Artigos

Veja Também

Parceiros

Notícia publicada em 27/10/2017 - 14:11:51 | JI-PARANÁ - POLICIAL

 

Polícia recupera caminhonete que foi furtada pelo próprio filho e prende suspeitos com armas de fogo, em Ji-Paraná

 

Na madrugada desta sexta-feira, dia 27, um adolescente de apenas 15 anos, furtou a caminhonete S-10 de seu próprio pai e fugiu tomando rumo ignorado. Ao registrar a ocorrência, o pai falou que não aguenta mais seu filho dentro de casa, pois é usuário de drogas e fica incontrolável quando sente falta do “Crack”.

 

Nesta manhã, uma equipe de Policiais Civis do DERF (Departamento Especializado em Repressão a Roubos e Furtos) de Ji-Paraná, realiza uma diligência, quando se deparou com a caminhonete furtada com três indivíduos no interior, entre eles, o adolescente.


Ao receber ordem de parada, o motorista tentou evadir-se da viatura da Polícia Civil, mas não conseguiu ir muito longe e foi abordado na marginal da BR 364, próximo ao Viaduto, no 2º Distrito de Ji-Paraná.

 

Durante a busca pessoal, os Policiais encontraram uma pistola calibre 765, municiada, na cintura do adolescente e uma espingarda de cano serrado, calibre 28, com o passageiro, identificado como Renato Ferreira da Silva, de 28 anos, vulgo “Renatinho”, velho conhecido no meio policial pela prática de Homicídio, Roubos e Tráfico de Drogas.

 

O motorista, identificado como sendo Lindoval de Jesus Gonçalves, de 31 anos, vulgo “Alasão”, que também é bastante conhecido da polícia, falou que pegou o carro do adolescente e que estavam indo para uma chácara.

 

Na casa de Renato Ferreira ou “Renatinho”, os policiais encontraram um revólver calibre 38, municiado e uma motocicleta sem placa e com o chassi cortado que podem ter sido usados em vários roubos.

 

Diante da situação, os suspeitos receberam voz de prisão e foram conduzidos para Unisp, juntamente com as armas e o veículo furtado.

 

 

 

Matéria:www.comando190.com.br

 

 

ATENÇÃO SR(s) INTERNAUTAS

 

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se

prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

 

Publicidade

 

 

 

Publicidade

 

Comentários

 

 

Home Notícias Vídeos Classificados Fale Conosco Curiosidades