Notícia publicada em 13/05/2018 - 17:54:07 | JI-PARANÁ - POLICIAL

 

Homem é preso após matar desafeto durante discussão em bar no Dia das Mães, em Ji-Paraná – VIDEO DA CONFISSÃO

 

Uma discussão por motivos banais ocorrido em um bar, localizado no final da Rua 07 de Setembro, na beira do Rio Urupá, no 1º Distrito de Ji-Paraná, terminou com uma pessoa morta com 10 facadas. O assassino foi preso cerca de uma hora após pela Polícia Militar e confessou o crime. O homicídio aconteceu por volta das 16h00, deste domingo, dia 13, data comemorativa ao Dias das Mães.

 

De acordo com o Supervisor de Dia, SGT PM Agostinho, que realizou a prisão do suspeito juntamente com a Guarnição da PTran, comandada pelo SGT PM Marcos Silva, no começo desta tarde, o agricultor Valdinei Cardoso Silva, de 30 anos, chegou no bar, já embriagado e pediu o telefone celular de um cliente para fazer uma ligação à sua mãe. Enquanto ele tentava fazer a chamada, um outro cliente que estava próximo ao balcão começou a xinga-lo, sem motivos. Entre os palavrões, a vítima, identificada como Anderson Fernandes da Silva, acabou ofendendo a mãe de Valdinei.

 

Transtornado com a situação, pois até aquele momento Valdinei ainda não tinha conseguido falar com sua mãe, sacou uma faca e desferiu mais de 10 facadas em seu desafeto. Em seguida, fugiu do local. O corpo de Bombeiros chegou a comparecer no local, mas a vítima não apresentava mais sinais vitais.

 

As Guarnições de Rádio Patrulha foram acionadas e em menos de uma hora conseguiram localizar o suspeito escondido na casa de parentes, localizada na Rua T-17, no bairro Val Paraíso, já no 2º Distrito de Ji-Paraná.

 

Ao ser abordado, Valdinei, que já possui uma condenação por Tentativa de Homicídio, confessou o crime e recebeu voz de prisão. Ele reside no Distrito de Palmares, próximo a Theobroma/RO e estava na cidade passando o feriado na casa de familiares.

 

 

 

VEJA O VÍDEO:

 

 

 

Matéria:www.comando190.com.br

 

 

ATENÇÃO SR(s) INTERNAUTAS

 

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se

prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

 

Publicidade

 

 

 

Publicidade

 

Comentários

 

 

Home Notícias Vídeos Classificados Fale Conosco Curiosidades