Home Notícias Vídeos Classificados Fale Conosco Eventos Artigos

Veja Também

Parceiros

Notícia publicada em 18/08/2016 - 19:06:41 | URUPÁ

 

"OPERAÇÃO FAKE" - Polícia Civil cumpre ordens judiciais em investigação de Crimes Cibernéticos durante a 1ª fase da Operação, em Urupá

 

Nas primeiras horas desta quinta-feira(18/08) policiais civis de Urupá, coordenados pelo Delegado Julio Cesar de Souza Ferreira, com apoio da Delegacia de Alvorada do Oeste e ainda da Delegacia de Crimes Cibernéticos de Belo Horizonte, deflagraram a primeira fase da operação FAKE, visando cumprir mandados judiciais de busca e apreensão e condução coercitiva.

 

 

A operação visa coletar elementos contra integrantes de um grupo que age no município de Urupá se utilizando de um perfil falso na rede social Facebook, denominado "Claudio José (MIL)", com o objetivo de injuriar, difamar e caluniar adversários políticos, com vistas a interferir nas eleições municipais desse ano.

 

 

De acordo com o Delegado Julio Cesar, responsável pela apuração "o grupo em questão utiliza o referido perfil para apresentar os adversários da atual administração de forma jocosa e desrespeitosa, ora inventando ou distorcendo fatos, ora agredindo sua honra, com o objetivo nefasto de dilapidar o patrimônio moral dessas pessoas e inviabilizar eventuais candidaturas a cargos eletivos municipais."

 

 

Ainda de acordo com informações do Delegado, trata-se de apuração dos crimes de associação criminosa, calúnia e difamação, cujas penas somadas podem passar de quatro anos de reclusão.

 

 

Foram conduzidos coercitivamente quatro pessoas, as quais também sofreram medidas de busca e apreensão, sendo um deles residente na cidade de Belo Horizonte, cujos mandados foram cumpridos pela Delegacia de Crimes Cibernéticos daquela metrópole.

 

 

Os investigadores informaram que as investigações prosseguem nos próximos dias, visando à identificação de outros suspeitos.

 

Matéria:Fan Page - Policia Cidade

 

 

ATENÇÃO SR(s) INTERNAUTAS

 

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se

prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

 

Publicidade

 

 

 

Publicidade

 

Comentários

 

 

Home Notícias Vídeos Classificados Fale Conosco Curiosidades